Moxaterapia – A fumaça que faz bem a saúde

Olá, Juniquetes e Juniquitos. Estou de volta!
Hoje vamos falar da Moxabustão.

UM POUCO DE HISTÓRIA

A palavra moxabustão parece ser um termo que deriva do português antigo Mechia e do Japonês Mogussa.

Devemos recordar que os Jesuítas e os portugueses tiveram influência em várias partes do Oriente, China, Japão, Malásia, Índia e concretamente em várias partes da China e Japão, onde resultou que a palavra mechia foi usada no lugar de Jiu, já que esta técnica lembra uma mecha a queimar, e no Japão quando um francês estava a aprender a técnica ele ao perguntar ao Japonês do que se tratava, este respondeu que era mogussa uma erva usada pelos Japoneses no lugar da Artemísia vulgaris.

O Francês não entendia o Japonês, tentou dar-lhe um nome em francês, bustion, daí o termo ter-se propagado como Moxabustão que é a soma de mochia + bustion. Atualmente o Japão é o maior produtor de Moxa.

Resultado de imagem para FOTO DA ARTEMISIA

OBJETIVO DA MOXA

 

Por ter a Moxabustão o efeito de tonificar o Yang do corpo, ela é utilizada na China de forma caseira, tratando principalmente os idosos para minimizar os desconfortos da velhice e conseguir uma longevidade saudável.

Nas crianças, melhora o crescimento e a vitalidade para os estudos e trabalhos que queiram realizar.

É uma tradição milenar cultivada no âmago da família, para prevenir e tratar as enfermidades e debilidades mais comuns do dia-a-dia.

Por ter uma ligação mais próxima com o elemento Fogo, ela é mais utilizada nos locais de clima frio, onde esse elemento enfraquece, usando também nas pessoas que apresentam também deficiência nos órgãos ligados a esse elemento.

Em alguns tratamentos, onde o paciente encontra-se extremamente debilitado, é contra-indicado o uso de agulhas, e indica-se o tratamento com a aplicação gradual e progressiva de Moxa, melhorando com isso a atividade orgânica (Yang), e dando melhores condições de defesa orgânica.

Usa-se Moxa também em problemas relacionados com a musculatura (rigidez, dores, contraturas), afim de liberar a energia perversa ali contida, relaxando e auxiliando o aporte sangüíneo e energético da área afetada.

A moxa tem a finalidade de aquecer o qi e o sangue nos meridianos, tratando a Síndrome por frio e umidade, aquecer o útero, regularizar a menstruação e tonificar o Yang. No Ling Shu existe a referência de que: “Quando a acupuntura é ineficaz, a moxa é apropriada”.

Essa passagem do livro refere-se ao uso da moxa no tratamento pelo frio em que a aplicação somente das agulhas é relativamente ineficaz.

As vezes a moxa sozinha é mais eficaz do que a aplicação de acupuntura, e outras vezes ambas são sinérgicas.

A aplicação da moxa esta indicada para um enorme número de enfermidades, entre algumas podem ser citadas a asma, diarréia, dor reumática, vômito, dor abdominal e determinadas desordens ginecológicas.

Em 1998 um estudo publicado pelo Journal of the American Medical Association, 75% das mulheres gravidas que possuíam alteração do posicionamento fetal da criança e utilizaram a moxabustão tiveram os fetos colocados na posição normal.

A moxabustão aumenta significadamente os movimentos fetais na gestante.

PORQUE A MOXA É EFICIENTE

 

O calor da moxabustão é extremamente penetrante, tornando-se eficaz quando há menos circulação, condições frias e úmidas, além da deficiência do Yang.

Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos com deficiências do Yang, o corpo absorve o calor recuperando mais rapidamente o Qi (energia) do Yang do corpo e o “fogo ministrial” fonte de todo o calor e energia do corpo.

As folhas frescas da planta Artemísia são colhidas na primavera e expostas ao sol para secarem, em seguida são trituradas, examinadas e filtradas para remoção de areia ou talos mais grosseiros, posteriormente, posto de novo ao sol, repetindo-se este processo até se obter a consistência desejada que é um pó fino, macio e claro.

CONTRA INDICAÇÕES

  • Menopausa;
  • Febre alta;
  • Não produzir cicatrizes com moxa;
  • Não usar moxa na região lombossacral em mulheres grávidas (todo o meridiano do Bp, os pontos abaixo do umbigo, locais onde passam nervos importantes, e nos pontos 4IG, 60B, 67B, 12E, 11F, 36E, e 3F).
  • Edemas
  • Gravidez
  •  Em estado febril.
  •  Na região da cabeça em crianças.
  •  Em intoxicados.
  •  Durante fortes manifestações pluviométricas.
  •  Sobre vasos e artérias.
  •  O ponto 36E em crianças (pode causar distúrbios no crescimento).
  •   No rosto.

AGENDE SUA SESSÃO DE TRATAMENTO COM A MOXA E SINTA A DIFERENÇA!

Um abraço com muita saúde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *