Lesões comuns em punhos dos tenistas

Olá, Juniquetes e Juniquitos. Estou de volta!

Vamos começar falando quanto uma simples lesão no punho de um teniste pode arruinar seu jogo do momento ou  por meses.

O que sempre encontramos na caminhada são Jogadores ansiosos,  que mesmo estando machucados insistem em jogar, acabam agravando ainda mais o problema.

Toda dor, por menor que seja é um aviso, nosso corpo fala, ele está reclamando.

Uma dor tipo aquela muscular demora 72 horas para sair se for somente aquelas rotineiras, por esforço nunca efetivado, após este período não deve mais existir dor, se ele persistir tende a piorar e formar uma lesão.

A indicação é correr para o médico.

A posição inicial do punho na maioria dos golpes também é um facilitador de ocorrência de lesão (extensão e desvio ulnar – para o lado do dedinho).

As tendinites são lesões comuns e o tratamento inicial segue o protocolo PRICE :

  • Proteção,
  • repouso,
  • gelo,
  • compressão,
  • elevação.

Os movimentos repetitivos e de rotação do punho podem resultar em sobrecarga levando à lesão da cartilagem triangular, que tem a função de amortecimento e estabilidade.

Dependendo do grau de instabilidade do punho, o tratamento é cirúrgico.

As lesões no punho têm sido discutidas no meio tenístico há anos.

Em 2002 foi realizado um levantamento e, como resultado, apresentou que aproximadamente 3% a 10% das lesões esportivas acometem o punho. As lesões nesta articulação originam-se ou de trauma agudo (contusão, fratura) ou de sobrecarga decorrente de esforços repetitivos, por exemplo, uma tendinite.

Como fatores predisponentes, temos a técnica incorreta, aumento da intensidade de treino, tratamento inadequado de lesões anteriores, a utilização de materiais não apropriados para a nossa técnica.

Excluindo-se as quedas sobre a mão, as fraturas dos ossos da mão são raras nos tenistas. Destacamos que os pequenos ossos, hamato e captato, podem sofrer  uma pequena fissura decorrente do constante impacto do cabo da raquete.

As fraturas por estresse também ocorrem no punho e o osso mais comumente envolvido é o hamato (traumas provocados pela raquete e também pela força excessiva de preensão palmar).

De uma forma geral, as lesões de punho decorrem de overuse, erro técnico ou equipamento inadequado.

Assim, tornam-se necessárias adaptações para prevenir essas lesões ou mesmo evitar piora em casos estabelecidos.

Diante de qualquer dor no punho, procure um profissional de saúde para que se faça o diagnóstico precoce da lesão. Paralelamente, reavalie seu treinamento e gesto esportivo.

 

Lesão na fibrocartilagem triangular – Punho do tenista


Afeta o lado ulnar do punho (o lado do dedo mindinho). Os tecidos moles do punho atuam em conjunto para estabilizar a articulação. Uma lesão pode causar mais do que uma distensão.

A lesão vai se desenvolvendo por excesso de uso da mão, e também pode ser vista na mão não dominante por conta do backhand de duas mãos.

Geralmente ocorre por conta da empunhadura Western, que força o punho para o topspin e acaba girando-o de maneira desfavorável.

Tratamento: Na maioria das vezes, descanso e apenas uma tala já irão ajudar a curar a lesão.

Caso não resolva a acupuntura é uma ótima solução.

Em casos mais graves é necessário dar injeção de cortisona, para diminuir o inchaço.

LEIA MAIS AQUI

Lesão no gancho do hamato – punho do tenista


O hamato é um pequeno osso que fica no lado de fora (mesmo do dedo mindinho) do punho. Ele tem a forma de um gancho, que se projeta para fora, e por isso é mais suscetível a fraturas.

A ponta da raquete se apóia neste osso e, ao longo do tempo, pode causar uma fadiga óssea por stress ou até mesmo uma fratura completa.

Prevenção: Mexa o punho tanto quanto possível, para mantê-lo flexível. Se sentir um desconforto, use um protetor de punho.

Se você sentir uma dor crônica no pulso, isso provavelmente está relacionado com o seu grip. Tentar jogar apesar da dor não é a solução. Isso só vai agravar o problema.

Tendinite – punho do tenista


A Síndrome de Quervain é uma inflamação dos dois tendões do polegar que causa a compressão destes. É mais comum em mulheres e geralmente é provocada por movimentos contínuos da empunhadura. Já a tendinite ECU é uma inflamação no tendão extensor ulnar do carpo causada principalmente por movimentos que flexionam a mão para trás.

LEIA MAIS AQUI

Tratamento: Descanso, gelo, compressão e elevação, além de uma tala para manter o punho imóvel.

O jogador pode tomar alguns anti-inflamatórios. “Depois de cinco ou sete dias, faça compressas de água quente na região, pois isso fará aumentar a circulação de sangue e deve ajudar a limpar o organismo das substâncias causadoras da inflamação”.

Casos mais graves podem necessitar injeção de cortisona ou até mesmo cirurgia para reparar o tendão e seu revestimento.

Cerca de 80% das tendinites se encaixam nestes dois tipos explicados acima, e a maioria delas não precisa de cirurgia.

Fazer em casa:  Alongamento de flexores e extensores do punho, por cerca de 30 segundos cada.

O fortalecimento pode ser realizado com o apertar de uma bolinha de tênis murcha, com 3 séries de 15 vezes.

Não podemos esquecer que o relaxamento muscular deve fazer parte da sua série de exercícios. O relaxamento pode ser feito com uma auto-massagem na parte de cima do braço e na parte de baixo.

 

E aí.. você fez? sentiu melhora?
Qualque coisa vem para cá que cuido de você.

Um abraço com muita saúde,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *